domingo , fevereiro 26 2017
Home / Futebol / O deputado Romário quer que Olimpíada no Brasil seja investigada

O deputado Romário quer que Olimpíada no Brasil seja investigada

Romário discursa no plenario da Camara dos Deputados
Romário discursa no plenario da Camara dos Deputados
Às vésperas da eleição para a presidência do Comitê Olímpico Brasileiro, o ex-jogador e deputado Romário (PSB-RJ) disse que pedirá investigações sobre o episódio do furto de dados de Londres-2012 por funcionários da Rio-2016. Romário pretendia discursar no plenário da Câmara dos Deputados ontem, mas não houve sessão e ele publicou nota em seu site.
O deputado disse que pedirá uma investigação por parte do governo federal e proporá que os envolvidos sejam ouvidos na Câmara. Romário classificou o caso de “fatos vergonhosos”.
“Mais do que nunca, é preciso que a presidenta Dilma [Rousseff] e o ministro Aldo Rebelo [Esporte] se mantenham firmes e não recuem da decisão de só repassar recursos públicos a entidades que modernizarem seus estatutos e limitarem os mandatos dos seus dirigentes.”
Romário afirmou que pedirá na Câmara uma auditoria nas contas do COB, em especial na aplicação de recursos públicos. O deputado levantou ainda suspeitas sobre o presidente Carlos Arthur Nuzman e a venda de ingressos para a Rio-2016.
O deputado cobrou de Nuzman esclarecimentos acerca da atuação do “amigo” de Nuzman, Patrick Hickey, membro do Comitê Olímpico Internacional (COI).
“Soube de fonte segura que o filho dele trabalha numa subsidiária da empresa que ganhou, pela mão do senhor Hickey, o direito de vender ingressos para os Jogos Olímpicos de 2016”, disse Romário. O deputado cobra esclarecimentos por parte de Nuzman.
“Gostaria de saber –talvez o Sr. Nuzman possa esclarecer ao parlamento e à sociedade brasileira — se o Sr. Hickey costuma visitar o Rio para contribuir com os preparativos do evento, ou para sondar oportunidades de negócios para sua família”, disse.
A cobrança de Romário ocorre às vésperas de Nuzman concorrer, como candidato único, à presidência do COB — ele está no cargo há 17 anos. Romário classificou a presidência de Nuzman como um “reinado”.
Romário levantou ainda questionamento se Nuzman “está realmente comprometido com os interesses do Brasil, ou se ele atende, em primeiro lugar, ao Comitê Olímpico Internacional”. Procurado, o COB disse que não comentaria as declarações. O comitê Rio-2016 e o COI também não responderam. 
Fonte: Folha de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.