segunda-feira , fevereiro 27 2017
Home / Nacional / No Rio a Tropa de Choque faz cerco a manifestantes na Cinelândia.

No Rio a Tropa de Choque faz cerco a manifestantes na Cinelândia.

Policiais da Tropa de Choque fizeram um cerco às 20h desta quinta-feira na praça da Cinelândia, onde um grupo de aproximadamente 100 manifestantes ocupa a escadaria da Câmara Municipal do Rio.

A PM chegou a usar o jato d’água para dispersar os manifestantes. De acordo com a assessoria da corporação, dez pessoas foram presas e dois menores, detidos. Um policial foi ferido na cabeça.

Por volta das 20h, mais de 300 policiais estavam na região da Cinelândia, incluindo uma tropa do batalhão da PM da área. Cinco carros da Tropa de Choque, um "caveirão" (blindado da PM) e um veículo equipado com jatos de água estão posicionados na Cinelândia. Muitas motos da PM também circulam na mesma área.

O protesto de sindicalistas no centro do Rio chegou a reunir 2.500 pessoas ao longo da tarde. No início da noite, houve confronto entre um grupo de manifestantes mascarados e os policiais militares.

A passeata passava pela esquina da avenida Almirante Barroso, perto da Cinelândia, ponto final da caminhada, quando o grupo começou a atirar pedras e pedaços de pau contra os policiais. O material estava escondido debaixo de várias bancas de jornais ao longo da avenida Rio Branco.

No momento em que começaram a atacar os policiais, o grupo tinha formado uma linha na frente da passeata. De trás dessa linha, um coquetel molotov foi arremessado contra os policiais que estavam na esquina. Policiais do Batalhão de Choque, que acompanhavam à distância, reagiram jogando bombas de gás lacrimogêneo.

Houve correria, com grupos se dispersando em direção à Praça 15 e à Cinelândia. No meio do tumulto, do alto de um carro de som da CUT, um dos organizadores pedia para que as pessoas não corressem e continuassem a caminhada. Ao mesmo tempo, o sistema de som começou a tocar o Hino Nacional.

Testemunhas disseram que alguns dos manifestantes que atacaram os policiais estariam armados e que quando o grupo entrou pela rua, armado, policiais femininas que cuidavam da segurança de prédios públicos naquele trecho se refugiaram em prédios. Policiais então entraram pela rua, perseguindo os manifestantes, atirando para o alto.

OUTRO ATO

Houve confronto também, na noite desta quinta-feira, na frente do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado. Manifestantes jogaram fogos em direção ao prédio e a policia reagiu com bombas de gás lacrimogêneo e jatos de água.

Cerca de 500 pessoas participaram da passeata que foi até o palácio aos gritos de "Cabral renuncia!". Cerca de 250 policiais saíram saíram do Largo do Machado e fecharam a rua das Laranjeiras (zona sul do Rio). À frente da manifestação há uma faixa onde está escrito "Somos a Rede Social".

Em frente ao Palácio Guanabara, um oficial da PM tentou mais cedo acalmar os manifestantes dizendo ao megafone: "Estamos aqui para ajudar vocês". E ouve de resposta: "Não é mole não/a polícia defendendo um ladrão".

Folha de S.Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.