quinta-feira , fevereiro 23 2017
Home / Mundo / Morre Eric Hobsbawm, um dos maiores historiadores do Século 20

Morre Eric Hobsbawm, um dos maiores historiadores do Século 20

LONDRES – Eric Hobsbawm, considerado um dos mais maiores historiadores do século XX, morreu aos 95 anos de idade, informou sua filha Julia nesta segunda-feira. Segundo Julia, seu pai morreu durante a noite no Royal Free Hospital, em Londres, onde se tratava de uma pneumonia.
 Intelectual estava com pneumonia Foto: ArquivoO intelectual marxista é considerado um dos maiores historiadores do século XX e escreveu “A Era das Revoluções”, “A Era do Capital”, “A Era dos Impérios”, “A Era dos Extremos”, “História Social do Jazz”, entre outras obras. Só “A Era dos Extremos” foi traduzida para mais de 40 línguas.
“Ele fará muita falta, não apenas para sua esposa há mais de 50 anos, Marlene, e seus três filhos, sete netos e um bisneto, mas também para os vários milhares de leitores e estudantes em todo o mundo”, afirmou a família em comunicado.
Hobsbawm nasceu em uma família judia, na Alexandria, no Egito, em 1917, mas cresceu em Viena e em Berlim, mudando-se para Londres em 1933, ano em que o nazista Adolf Hitler chegou ao poder na Alemanha. Sua experiência como um estudante na Alemanha na década de 1930 consolidou suas visões de esquerda. Ele entrou para o Partido Comunista, na Inglaterra, em 1936 e foi membro por décadas, até 1989. O historiador manteve a militância apesar da invasão soviética na Hungria, em 1956, e de sua desilusão com a URSS.
– Tínhamos a ilusão de que inclusive o sistema brutal, experimental (soviético) ia ser melhor do que o ocidental, que era isto ou nada – disse uma vez o intelectual, afirmando que nunca quis minimizar os abusos da antiga União Soviética.
Considerado um dos maiores intelectuais do século XX, Hobsbawm se tornou o historiador mais respeitado do Reino Unido, admirado pela esquerda e pela direita e um dos poucos a desfrutar de reconhecimento nacional e internacional. Crítico árduo do Partido Trabalhista, Hobsbawm foi determinante na reformulação da legenda, apesar de mais tarde ter revelado em público sua decepção com o ex-premier britânico Tony Blair.
Em 1962, Hobsbawm publicou o primeiro de três volumes cobrindo o “longo século XIX”, que abrange o período 1789-1914. Um volume mais tarde, “Era dos Extremos”, cobriu o período até 1991. Seu último livro, “Como Mudar o Mundo”, lançado em 2011, é uma defesa do uso das ideias marxistas para analisar a crise atual do mundo.
Ele estudou na Escola de Gramática de Marylebone e em Kings College, em Cambridge, antes de ser nomeado, em 1947, professor na Universidade de Birkbeckem, de onde virou reitor mais tarde. Em 1978, entrou para a Academia Britânica. O historiador deixa a mulher, três filhos, sete netos e um bisneto.
Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.