sexta-feira , fevereiro 24 2017
Home / Mundo / Chile: Anistia defende direito ao aborto para criança vítima de estupro

Chile: Anistia defende direito ao aborto para criança vítima de estupro

Presidente do país foi criticado após dizer que a menina é "madura" para manter a gestação

Uma menina chilena de 11 anos que engravidou após ser supostamente estuprada por seu padrasto deveria ter direito a todas as opções médicas, inclusive o aborto, disse a entidade Anistia Internacional nesta quinta-feira.

A gestação de Belén, como é conhecida a menina, causa polêmica no país andino, onde o aborto é proibido sob todas as circunstâncias.

"O Estado chileno é responsável por lhe oferecer todo o apoio necessário enquanto ela lida com as terríveis consequências físicas e psicológicas de ser estuprada e engravidar como resultado disso", disse nota assinada por Guadalupe Marengo, ativista da entidade com sede em Londres.

O presidente do Chile, o conservador Sebastián Piñera, foi criticado depois de elogiar a "profundidade e maturidade" da menina por manter a gestação. O padrasto dela, de 32 anos, é acusado de ter estuprado a menina ao longo de dois anos na cidade de Puerto Montt, no sul.

Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.