sábado , dezembro 10 2016
Home / Curiosidades / Estudo aponta: Bebidas quentes causam câncer, café não

Estudo aponta: Bebidas quentes causam câncer, café não

Agência de pesquisa do câncer da OMS diz que bebidas consumidas em mais de 65C provavelmente estão ligados ao câncer esofágico.

Café havia sido classificada como uma possível causa de câncer em 1991. Fotografia: Rex / Shutterstock
Café havia sido classificada como uma possível causa de câncer em 1991.
Fotografia: Rex / Shutterstock

A Organização Mundial de Saúde tenha esclarecido que café era causador de câncer, mas uma investigação detalhada descobriu que bebidas muito quentes pode estar ligada a câncer de esôfago ou garganta.

Café foi classificada como uma possível causa de câncer em 1991, mas a Agência Internacional de Investigação do Cancro (IARC), que faz parte da OMS, já reconsiderou as provas. É realizada uma análise detalhada dos muitos estudos publicados sobre o assunto e descobriram que os bebedores de café não tem nenhuma razão para se preocupar.

IARC também investigou o companheiro de bebida à base de plantas, também conhecido como chimarrão ou cimarrón , que é amplamente consumida na América do Sul, onde o câncer esofágico é mais comum do que em outras partes do mundo.

Os especialistas descobriram que companheiro não era uma causa de câncer, mas eles acreditam que a temperatura na qual ele está bêbado provavelmente é – e que outras bebidas muito quentes também poderia estar ligado ao câncer esofágico.

Mate é bebido em temperaturas de mais de 65C (149F), muitas vezes através de um canudo de metal. Os cientistas também analisaram bebidas, incluindo chá consumido em altas temperaturas na Ásia Central, China e Japão.

“Ele é consumido muito quente”, disse o IARC Dr. Dana Loomis. “Isso levou a um interesse em outras bebidas quentes ao redor do mundo. Parece haver um efeito de temperatura.

“Há evidências limitadas em estudos humanos e evidências limitadas em estudos com animais, para a carcinogenicidade de bebidas muito quentes”, disse Loomis.

IARC produz o que chama de monografias sobre as causas do câncer, que usam as classificações do grupo um, onde o link é definitivo, como acontece com o tabagismo; o grupo de quatro, onde há provavelmente nenhum link.

A nova monografia classifica bebidas quentes como grupo 2A, significando que eles são “provavelmente cancerígeno para os seres humanos”. Café e companheiro servido frio estão em grupo de três, o que significa que não há provas suficientes para acreditar que eles causam câncer. Conclusões do IARC são publicados na revista Lancet Oncology .

Aqueles que gostam de chá quente na Europa e os EUA provavelmente não precisa se preocupar, disse Loomis. “É importante reconhecer bebidas que quentes que foram estudados para a base desta classificação são, talvez, um pouco diferente do chá ou café como consumido [em outras partes do mundo.] – 65C é bastante quente”

Nos países europeus, café e chá são geralmente bebido abaixo de 60C, disse ele, e leite é frequentemente adicionado, o que esfria. Chá no Irã e companheiro na América do Sul são frequentemente bebida em 70C. “Mate não só é preparado muito quente, mas bebido através de um canudo de metal que entrega-lo diretamente para a garganta”, disse ele.

Estudos em animais mostraram que a água muito quente pode promover o crescimento de tumores. “Parece que não há lesão térmica da exposição a líquidos quentes que é capaz de levar ao câncer de esôfago”, disse ele.

Classificações da IARC se relacionam com a força da evidência para uma associação causal, ao invés da frequência com que algo causa câncer. É por isso que o tabaco, o que aumenta o risco de cancro de 100 vezes, está no mesmo grupo que os raios UV de espreguiçadeiras, que aumentam o risco de cancro da pele duas vezes.

Os cientistas descobriram uma “relação inversa” entre bebendo o café e certos tipos de câncer. O câncer de fígado caiu 15% para cada xícara de café bebido, enquanto que no câncer de mama e útero -ou endometrial – estudos de câncer sugerem que houve menos incidência entre as pessoas que bebiam café do que aqueles que não o fizeram.

Outros fatores podem ser responsáveis, no entanto, a IARC não considera que o consumo de café protege as pessoas contra o câncer.

Com informações do The Guardian

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.