terça-feira , dezembro 6 2016
Home / Música / Noca do Acordeon, Shirley de Torres, a TV Globo e um samba-choro pra mulher chifruda

Noca do Acordeon, Shirley de Torres, a TV Globo e um samba-choro pra mulher chifruda

Noca do Acordeon, cujo nome de registro é Adauto Pereira Mattos, foi um compositor e acordeonista que nasceu em Jequié/BA em 18/11/40 e faleceu no Rio de Janeiro em 18/07/85. Era considerado um mestre do acordeon. Pra mim ele foi o rei do chorinho e do samba, porque na sanfona, nesses gêneros, ninguém chegava perto dele. Tinha um floreado peculiar nas teclas, o que permitia que os seus fãs o identificassem facilmente entre outros sanfoneiros. Como compositor, os seus maiores sucessos foram “Baião da Saudade” e “Evolução”, ambos baiões instrumentais. Trabalhou em emissoras de rádio de Salvador e do Rio de Janeiro. Acompanhou musicalmente muita gente famosa em gravações, incluindo o mestre Jackson do Pandeiro. É autor de inúmeros choros e sambas de ótima qualidade.

Noca do Acordeon e Shirley de Torres
Noca do Acordeon e Shirley de Torres

Ele, como de costume, gravou discos fenomenais. Hoje me reporto ao LP gravado em 1973. São dez faixas instrumentais e somente as duas últimas músicas do lado B é que tiveram a participação da cantora e compositora baiana Shirley de Torres, essa que aparece com Noca na capa do disco. A música primorosa que vamos escutar no final é de autoria dela e de Gordurinha, compositor baiano famoso, também já falecido, e chama-se “Camadinha”. Se na Bahia camadinha tem um significado especial que não seja diminutivo de camada, eu não sei, mas como a letra se refere a alguém que está roendo por amor, deve ser camadinha de dor de corno ou dor de corno em camada. Se não for isso, cartas à redação.

A letra da Shirley de Torres é uma bela poesia de rimas perfeitas, ela que dizem que botou chifre no falecido comediante da TV e do cinema chamado Lilico, com Gordurinha, e depois levou uma chifrada dele com outra, ou seja, ela é uma cornuda muito inspirada e escreveu com conhecimento da causa cornífera, pois a compôs no momento em que teve certeza de que ele tinha outra! Quanto à melodia do Gordurinha, nem precisa dizer nada, uma vez que se tratava de um mestre na arte de compor.

Enquanto houver um marido traído e uma mulher enganada, esse tipo de samba-choro fará sucesso. Nem é preciso apelar para o gênero brega. Como a sexta-feira é o dia mundial da chifrada, lá vai chifre, ou melhor, lá vai música boa! Dedico em especial pros cornos do Engenho do Meio, aqui no Recife, tão numerosos que criaram uma troça carnavalesca por nome de “Cabeça de Touro”. Mando também pros chifrudos do bairro do Salgado em Caruaru, local que concentra inúmeros cornos conformados. Não esqueço também dos cornos da Cornuália (ou Cornualha), região da Inglaterra, que tem a maior concentração de corno branco e de olhos azuis do mundo. O príncipe Charles casou com uma mulher de lá e levou chifre. Mas foi bem merecido! Não poderia olvidar os cornos da localidade de Gaibu onde você fica de queijo caído com a beleza das praias de Gaibu e Calhetas e de algumas morenas que desfilam bronzeadas pelas areias. Apenas um morro as separa. Certa vez, faz mais de 20 anos, fui ver um show de Reginaldo Rossi num circo à entrada da vila e no meio do show ele comentou o seguinte: “ – Ao descer do carro, fui abordado por um fã que me pediu, Reginaldo, não deixe de homenagear os cornos de Gaibu porque aqui eles são muito pacíficos!” Ofereço também esta postagem aos cornos que frequentam a Confraria dos Chifrudos no Mercado da Madalena. Mas a dedicação mais importante que desejo fazer mesmo é pros cornos de Salgadinho, em Olinda, frequentadores assíduos daquela praia linda chamada Del Chifre. Salgadinho é o único lugar do mundo onde a cornura virou doença psíquica: “Complexo de Salgadinho”. Segue também para a defunta chifruda Carolina, personagem da novela “Verdades Secretas”, que levou um chifre arretado da própria filha. A ficção da Globo não deixa de ser uma baita realidade: conheço um caso lá do interior de São Joaquim em que uma mulher mais velha e com filhos larga o marido para ir viver com o amante. Os filhos deles ficaram com o cornudo, mas depois uma filha da infiel se engraçou do filho do amante da mãe e quando cuidaram daquele estranho amor, a moça já tinha embuchado. Eu mesmo fiz um roteiro de um filme, no fim da década de 70, baseado em um fato real, no qual a mãe de uma garota mata a filha e o padrasto ao descobrir que eles tinham um caso. Hoje, se aparecesse algum diretor interessado em torná-lo realidade, diria que fiz um plágio da novela global.

Praia Del Chifre - Olinda - PE
Praia Del Chifre – Olinda – PE
Praia de Gaibu-Cabo-Pe
Praia de Gaibu-Cabo-PE

Então, ao fim desta crônica, quero protestar contra a Rede Globo de Televisão por fazer pouco dos cornos e dos pobres. Me explico: estava eu no sofá da sala vendo o capítulo inicial de “Mister Brau”, em 22/09/2015, quando o protagonista Lázaro Ramos, que faz o papel de um rico artista, após colocar um par de chifres na sua amada (na vida real e na tela), a gostosa Thaís Araújo, tendo a traição sido descoberta, foi ameaçado por ela de lhe dar o troco. Aí ele solta a seguinte pérola: “é melhor ser corno do que ser pobre”!

Ser pobre, apesar do objetivo humorístico do seriado, foi considerado um defeito da pessoa, quando o é dos sistemas econômicos postos em prática no mundo, seja qual for a ideologia que os rege. Como defensor dos pobres e dos cornos pobres, fracos e oprimidos, escrevi uma carta para a citada emissora protestando contra essa deslavada mentira porque a Rede Globo é a que mais corno concentra por metro quadrado de área. E nenhum deles é corno pobre. São artistas que às vezes ganham em um mês o que eu não ganho em um ano. Além disso, a frase é uma afronta aos cornos pobres de algumas comunidades pernambucanas acima citadas. A cornice é bastante democrática e atinge a todos. A diferença é que o corno rico costuma passar as férias em Miami enquanto o corno pobre se contenta com a praia do Pina ou de Rio Doce.

Praia de Calhetas-Cabo-PE
Praia de Calhetas-Cabo-PE

Então, prezado leitor, se você não é corno, nem desconfia, mas apenas sente a dor, clique no botão abaixo e escute a música que lhe dedico. Se você é corno e sabe que é, aí terá muito mais motivo pra escutar essa adorável página musical. Garanto que é bem melhor do que a cornura andrógina e desvairada do artista pernambucano Johnny Hooker, estrela de trilha sonora de filme e vídeos do YouTube.

Salve Gordurinha, grande artista baiano e um apreciador voraz de um rabo de saia, coisa que não está sendo muito incentivada hoje em dia, considerando-se a boiolice extremada e ridícula que se vê constantemente em filmes e novelas. A coisa está tão danada que Gretchen chama a filha de filho e Hooker diz que é mulher. Vôte! Puxa, falei tanto nisso que até vão me confundir com um homofóbico. Não sou nenhum pastor Marco Feliciano, porém não me canso de afirmar: é melhor ser corno do que viado. Abaixo a Rede Globo por sua apologia à baitolagem e preconceito explícito contra os pobres!

Camadinha

Por Abílio Neto

2 comments

  1. Olá Abilio, sensacional o seu artigo.
    Eu também sou fã desse grande sanfoneiro e desconfio que houve
    um erro na composição do texto, talvez seja GAMADINHA. Aliás, acho
    que existe uma tiragem desse LP onde o termo saiu correto.

    ARI

  2. Caro Abílio, é uma cornificência geral. Estou me obrando de rir. Já fui o típico de Salgadinho e do Engenho do Meio kkkk. Lamentável o conceito da Globo….

    Mais uma vez obrigo, pela aula de cornice e apresentação de gente como Noca do Acordeon…Quincas Macedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.