quinta-feira , dezembro 8 2016
Home / Política / TSE determina que vice de Aécio Neves retire link da página do Senado

TSE determina que vice de Aécio Neves retire link da página do Senado

O  ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), concedeu liminar hoje (11) contra o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), candidato a vice-presidente pela Coligação Muda Brasil, de Aécio Neves (PSDB-MG). O ministro entendeu que Nunes fez propaganda eleitoral irregular, por meio de um link entre sua página pessoal na internet e o site institucional do Senado.
Gonzaga atendeu a um pedido feito pela Coligação com a Força do Povo, da candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT). De acordo com a decisão, Nunes deverá desativar o link com a página institucional da Casa ou retirar imagens e textos com contexto eleitoral de seu site.
“A partir da documentação carreada aos autos, vislumbro a realização de propaganda eleitoral irregular, por meio da utilização de link em sítio oficial do Senado Federal, que direciona para a página pessoal do segundo representado, na qual se apresenta conteúdo relacionado ao pleito que se avizinha”, ressalvou o ministro.
Apesar da determinação do TSE, de desativação do link do site do Senado, que dá acesso à página pessoal do senador paulista, até por volta das 20h30 o link continuava ativo. A Agência Brasil tentou falar com a assessoria do senador, mas não teve retorno das medidas a serem adotadas pelo candidato a vice-presidente pelo PSDB.
Verificando a página do Senado, verifica-se que não consta o link do site oficial direcionando para a página pessoal de alguns senadores, como é o caso de Ana Amélia (PP-RS), Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Aécio Neves, candidatos aos governos do Rio Grande do Sul e do Paraná e à Presidência da República, respectivamente. No entanto, o link da página do Senado continua ativado para o senador Benedito de Lira (PP-AL), candidato ao governo de Alagoas.
AGENCIA BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.