quinta-feira , dezembro 8 2016
Home / RN / Fiscalização flagra furto de água na adutora Jerônimo Rosado

Fiscalização flagra furto de água na adutora Jerônimo Rosado

A equipe da Regional Mossoró da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) fiscalizou nesta terça-feira (12) a adutora Jerônimo Rosado, responsável por 30% do abastecimento da cidade de Mossoró. Até o início da tarde foram identificados e fechados cinco pontos de retirada irregular de água da adutora. O trabalho está sendo realizado entre a captação na Barragem Armando Ribeiro Gonçalves e as imediações de José da Volta, posto de combustível às margens da BR-304. Uma pessoa foi conduzida à delegacia de Assú para fazer o procedimento criminal.

O maior prejuízo causado pelas ligações clandestinas na adutora Jerônimo Rosado é o desabastecimento na cidade de Mossoró. Isto porque a água que deveria chegar aos mossoroenses é desviada para usos como a pecuária e a agricultura. A água da adutora é tratada com cloro e própria para consumo humano, por este motivo, foi projetada para atender as necessidades da população e não de outros usos. Além dos profissionais da Caern, toda a fiscalização foi acompanhada por equipe da polícia civil de Mossoró.

Na altura da comunidade rural de Palheiros, os técnicos da Caern encontraram tubulação que retirava água aonde era possível abastecer uma cidade do tamanho de Triunfo Potiguar. Os “gatos” diminuem não só a quantidade de água, como a pressão (velocidade com que a água é conduzida na tubulação). Estes dois fatores prejudicam o abastecimento da segunda maior cidade do Estado.

Retirar irregularmente água da adutora é crime de furto. Também é possível enquadrar o responsável por dano ao patrimônio público. Isto porque ao ligar encanamento à adutora, o responsável pelo crime provoca estragos no equipamento de transporte de água. Os desvios, infelizmente, estão sendo “aperfeiçoados”. Foram encontradas tubulações de grande diâmetro o que comprova uma grande quantidade de água retirada. Outra constatação feita pela equipe da Caern foi a de que os “gatos” não foram feitos por leigos.

O material das ligações irregulares foi retirado e apreendido. O gerente da Regional Mossoró, Nehilton Barreto, explica que além de ser retirada uma grande quantidade de água pelas ligações irregulares, o líquido está sendo bombeado de forma ininterrupta. Ou seja, o que não é aproveitado, é desperdiçado. Em uma comunidade próxima ao posto de Zé da Volta foi encontrado um barreiro que estava sendo “abastecido” pela água da adutora.

ACS Caern

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.