quarta-feira , dezembro 7 2016
Home / Nacional / Serviço de telefonia móvel: Brasil tem tarifa de celular mais cara do mundo

Serviço de telefonia móvel: Brasil tem tarifa de celular mais cara do mundo

Serviço de telefonia móvel: Brasil tem tarifa de celular mais cara do mundo

Enquanto aqui o minuto custa 74 centavos de dólar, em Hong Kong o valor cai para 1 centavo

O Brasil tem a tarifa de chamadas de celular mais cara do mundo em termos absolutos, apurou a União Internacional de Telecomunicações (UIT), que publicou nessa segunda-feira informe anual sobre o setor. O país também não tem um bom desempenho em termos gerais, levando em conta as tarifas de telefonia fixa e Internet. Entre 161 países, ocupa a 93 posição, superado por nações como Índia, Colômbia ou Peru.
Em média, o brasileiro paga por um minuto no celular em horário de pico 0,71 dólar entre chamadas pelo mesmo operador. A taxa sobe para 0,74 dólar por minuto nas chamadas entre operadores diferentes. Para a comparação, a UIT usou a taxa média praticada em São Paulo. O custo é três vezes o que se paga para falar ao celular nos Estados Unidos ou em Portugal, de onde vem parte importante dos investidores. Na Espanha, sede da Telefonica, um cidadão paga cinco vezes menos pelo celular que no Brasil. Em Hong Kong, um minuto custa 0,01 dólar fora do horário de pico, ou seja, 70 vezes menos.
Em comparação ao poder aquisitivo, o Brasil seria o quarto mais caro do mundo, superado apenas por Bulgária, Malawi e Nicarágua. No que se refere ao custo de banda larga, a situação nacional é melhor. Apenas 54 países têm taxas mais baratas.
Em termos de telefonia fixa, o país ocupa a posição de número 112 entre os mais caros. E, entre os celulares, levando em conta a renda e o PIB per capita, o Brasil está na posição 117, sem qualquer redução no preço entre 2011 e 2012. Em termos gerais, é o 62 colocado no ranking dos países mais preparados para usar tecnologias de informação, abaixo do Azerbaijão, Croácia, Arábia Saudita, Chile ou Líbano. O ranking é liderado por Coreia, Suécia e Islândia.
Segundo a UIT, apesar dos preços caros, em 2012 metade da população usava a Web e metade tinha computador em casa. Em 2011, essa taxa era de 45%. Quanto aos usuários de banda larga, a taxa ainda é pequena: 9,2% entre 2011 e 2012, número bem distante da média de 27% nos países ricos.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.