domingo , dezembro 4 2016
Home / Polícia / Policiais civis e servidores do ITEP continuam com a greve por tempo indeterminado

Policiais civis e servidores do ITEP continuam com a greve por tempo indeterminado

Policiais civis e servidores do ITEP decidiram manter paralisações.

As greves dos policiais civis e dos servidores do Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP) vão continuar. As categorias se reuniram em assembleia, no final da manhã desta segunda-feira (9), e votaram pela manutenção da paralisação. Os grevistas afirmam que a decisão do desembargador Cláudio Santos de cortar o ponto dos servidores não vai intimidar o movimento.

 

Foto: Divulgação / Sinpol-RN

As greves dos policiais civis e dos servidores do Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP) vão continuar. As categorias se reuniram em assembleia, no final da manhã desta segunda-feira (9), e votaram pela manutenção da paralisação. Os grevistas afirmam que a decisão do desembargador Cláudio Santos de cortar o ponto dos servidores não vai intimidar o movimento.

Mais cedo, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública, Djair Oliveira, havia dito ao Portal BO que o Sinpol-RN vai recorrer da decisão judicial. “Tudo que determina a Lei de Greve está sendo mantido, o que torna nosso movimento legal. Então, estamos recorrendo dessa liminar do desembargador”, afirmou.

Na semana passada, após encontro com o chefe de Gabinete Civil, Carlos Augusto Rosado, a categoria já tinha mostrado insatisfação com a forma de negociação do Governo do Estado e reafirmou a manutenção da greve. Os policiais civis e servidores do ITEP esperam do Governo propostas e compromissos concretos com as pautas de reinvindicações, como nomeação de policiais civis concursados e andamento do Estatuto do ITEP.

Além da decisão do corte de ponto, o desembargador solicitou o envio de cópia do processo que trata da greve dos policiais civis encampada pelo sindicato da categoria (Sinpol-RN) ao procurador geral de Justiça, Rinaldo Reis, para, ao seu critério, abertura de inquérito prévio ou oferta de denúncia pelos crimes de desobediência à ordem judicial e abandono de função. Djair Oliveira, presidente do Sinpol-RN afirmou que a entidade também vai recorrer dessa solicitação.

DO PORTAL BO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.