sexta-feira , dezembro 9 2016
Home / Bizarro / Médico é processado por colocar bigode em paciente durante cirurgia

Médico é processado por colocar bigode em paciente durante cirurgia

Um anestesista e médico conhecido por Yang do Centro Médico  ‘Torrance Memorial’, na Califórnia, Estados Unidos, é processado por colocar rótulos em forma de bigode e lágrimas em uma mulher enquanto a paciente estava sem consciência em mesa de operação.

A mulher de 36 anos, Verônica Valdez, encontrou uma foto dela na mesa de operação com um bigode e lágrimas, então ela decidiu processar o hospital, argumentando que a conduta do anestesista significou uma violação de privacidade aos padrões médicos, a decência e do juramento de Hipócrates. A paciente mantinha uma relação de trabalho com o anestesista, já que tinha 13 anos de trabalho no hospital, quando teve que passar por uma cirurgia em um dedo. De acordo com o SPD, o médico achou que seria engraçado pintar o rosto e retratar. Disse ainda que Verônica deveria agradecer-lhe pela piada. Tudo acabou em um motim, mas Yang não vai perder o emprego, apesar de ter violado o direito à confidencialidade de seu paciente. Atualmente na instituição médica é proibido o uso de celulares durante as cirurgias para evitar uma repetição.

Verônica Valdez, uma mulher de 36 anos, encontrou uma foto dela na mesa de operação com um bigode e lágrimas, então ela decidiu processar o hospital, argumentando que a conduta do anestesista significou uma violação de privacidade aos padrões médicos, a decência e do juramento de Hipócrates.

A paciente mantinha uma relação de trabalho com o anestesista, já que tinha 13 anos de trabalho no hospital, quando teve que passar por uma cirurgia em um dedo.

De acordo com o SPD, o médico achou que seria engraçado pintar o rosto e retratar. Disse ainda que Verônica  deveria agradecer-lhe pela piada.

Tudo acabou em um motim, mas Yang não vai perder o emprego, apesar de ter violado o direito à confidencialidade de seu paciente.

Atualmente na instituição médica é proibido o uso de celulares durante as cirurgias para evitar uma repetição.

Por Léo Medeiros do RN EM REDE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.