sábado , dezembro 10 2016
Home / Polícia / Estudante de 13 anos desaparecida segunda(09) na Zona Norte é encontrada em igreja de Natal

Estudante de 13 anos desaparecida segunda(09) na Zona Norte é encontrada em igreja de Natal

Clara Beatriz desapareceu na última segunda-feira (9) após sair da escola.
Ela foi achada na noite desta terça-feira (10) em uma igreja.

A estudante Clara Beatriz, de 13 anos, que estava desaparecida desde o início da semana, foi encontrada na noite desta terça-feira (10) na zona Norte de Natal. Segundo Lamiea Ben Taib Lira, tia da estudante, a menina foi encontrada em uma igreja católica. A família ainda não tem informações do que aconteceu à garota. "Ela ainda não contou o que aconteceu", pontuou. Segundo Lamiea, Clara foi encontrada por volta das 21h. Segundo informações recebidas pela família, a menina tinha sido vista por volta de 22h30 da segunda na ponte Newton Navarro, que liga as zonas Norte e Sul da cidade. Após deixar a ponte, ela teria andado por várias ruas até entrar na igreja nesta terça. “Eu não tenho detalhes porque não estava lá no momento, mas graças a Deus ela foi encontrada. Estamos avisando a todos que estavam nos ajudando a procurá-la”, diz. Sobre o desaparecimento da garota, a tia disse que a família ainda não conversou com ela. "Ela dormiu na casa de outra tia e ainda não tivemos condição de conversar", coloca. Lamiea ainda acredita que o fato de a família não ter conseguido fazer o Boletim de Ocorrência, por causa da greve da Polícia Civil, prejudicou a procura pela sobrinha. "Se a gente tivesse conseguido fazer seria tudo mais fácil e essa demora podia ter sido menor", concluiu. O caso Clara Beatriz havia sido vista pela última vez quando deixava o Colégio Hipócrates, no bairro Potengi. Ela cursa o 6º ano na escola. A família teve o último contato com a menina às 11h30, quando a estudante ligou para a mãe. A tia de Clara conta que a estudante sairia da aula para pegar o ônibus e chegar em casa, também no bairro Potengi. A família encontrou dificuldades para fazer o boletim de ocorrência devido à greve da Polícia Civil. "O pai dela procurou a polícia, mas a Delegacia Especializada de Atendimento ao Adolescente (DEA) estava fechada. Ele foi na Delegacia de Plantão, mas foi aconselhado a ir até o Comando da PM. Lá foi informado que só poderá pegar uma senha nesta quarta para ser atendido na quinta", afirmou a tia. De acordo com Lamiea, a família acionou a Polícia Militar, que fez buscas em lugares onde Clara poderia estar, mas a menina não foi localizada. "Ela não tem namorado, nem paquera. É uma menina tímida. Nunca deu problema", acrescenta a tia. A família também recorreu às redes sociais para pedir informações sobre a localização de Clara Beatriz. Clara Beatriz foi vista pela última vez saindo do
Hipócrates da zona Norte (Foto: Arquivo da família)

A estudante Clara Beatriz, de 13 anos, que estava desaparecida desde o início da semana, foi encontrada na noite desta terça-feira (10) na zona Norte de Natal. Segundo Lamiea Ben Taib Lira, tia da estudante, a menina foi encontrada em uma igreja católica. A família ainda não tem informações do que aconteceu à garota. "Ela ainda não contou o que aconteceu", pontuou.

Segundo Lamiea, Clara foi encontrada por volta das 21h. Segundo informações recebidas pela família, a menina tinha sido vista por volta de 22h30 da segunda na ponte Newton Navarro, que liga as zonas Norte e Sul da cidade. Após deixar a ponte, ela teria andado por várias ruas até entrar na igreja nesta terça. “Eu não tenho detalhes porque não estava lá no momento, mas graças a Deus ela foi encontrada. Estamos avisando a todos que estavam nos ajudando a procurá-la”, diz. Sobre o desaparecimento da garota, a tia disse que a família ainda não conversou com ela. "Ela dormiu na casa de outra tia e ainda não tivemos condição de conversar", coloca.

Lamiea ainda acredita que o fato de a família não ter conseguido fazer o Boletim de Ocorrência, por causa da greve da Polícia Civil, prejudicou a procura pela sobrinha. "Se a gente tivesse conseguido fazer seria tudo mais fácil e essa demora podia ter sido menor", concluiu.

O caso

Clara Beatriz havia sido vista pela última vez quando deixava o Colégio Hipócrates, no bairro Potengi. Ela cursa o 6º ano na escola. A família teve o último contato com a menina às 11h30, quando a estudante ligou para a mãe.

A tia de Clara conta que a estudante sairia da aula para pegar o ônibus e chegar em casa, também no bairro Potengi. A família encontrou dificuldades para fazer o boletim de ocorrência devido à greve da Polícia Civil. "O pai dela procurou a polícia, mas a Delegacia Especializada de Atendimento ao Adolescente (DEA) estava fechada. Ele foi na Delegacia de Plantão, mas foi aconselhado a ir até o Comando da PM. Lá foi informado que só poderá pegar uma senha nesta quarta para ser atendido na quinta", afirmou a tia.

De acordo com Lamiea, a família acionou a Polícia Militar, que fez buscas em lugares onde Clara poderia estar, mas a menina não foi localizada. "Ela não tem namorado, nem paquera. É uma menina tímida. Nunca deu problema", acrescenta a tia. A família também recorreu às redes sociais para pedir informações sobre a localização de Clara Beatriz.

Do G1 RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.