sexta-feira , dezembro 9 2016
Home / Política / Que exemplo: Prefeito de Paranapanema-SP renuncia para ‘não roubar’

Que exemplo: Prefeito de Paranapanema-SP renuncia para ‘não roubar’

Menos de oito meses após assumir o cargo, um prefeito do interior de São Paulo decidiu abrir mão do mandato. O motivo: descobriu que o salário era baixo demais em relação ao que ganhava como médico.
"Tinha dois rumos a seguir: ou voltava a trabalhar e ganhava meu dinheiro honestamente ou tirava da prefeitura", disse Márcio Faber (PV) à TV Globo, após deixar o cargo de prefeito em Paranapanema (a 261 km de São Paulo).
Faber afirmou que o salário de R$ 5.800 não chegava a 20% do que recebia como médico, R$ 30 mil. Por isso, afirma, estava em dificuldades financeiras.
A Folha tentou entrar em contato com Faber ontem, mas foi informada que ele já havia voltado a atuar como médico e não poderia atender à reportagem.

Divulgação

Márcio Faber (PV), que deixou a Prefeitura de Paranapanema, no interior de SP

Márcio Faber (PV), que deixou a Prefeitura de Paranapanema, no interior de SP

O vice-prefeito Antonio Nakagawa (PV) disse ter sido pego de surpresa pela decisão. "Não imaginava, embora ele já comentasse que a situação não estava fácil", disse.
"Foi o maior exemplo de hombridade. É um caso inédito no Brasil, alguém renunciar para não roubar", disse.
Apesar das críticas, o agora ex-vice diz acreditar que a saída do prefeito não tenha contrariado eleitores. Mário Faber havia sido eleito em outubro com 55% dos votos.
De acordo com a Constituição, é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos. "Mas nada impede que ele exerça a profissão no seu consultório", diz Eduardo Pereira, presidente da Associação Brasileira de Municípios.
O novo prefeito diz que irá aceitar o salário. "Sou contador e aposentado, para mim é suficiente", diz.

Fonte: Folha de S.Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.