domingo , dezembro 4 2016
Home / Polícia / Pode isso? Motorista rico que atropelou motociclista tem mais de 300 pontos na carteira de habilitação, veja vídeo

Pode isso? Motorista rico que atropelou motociclista tem mais de 300 pontos na carteira de habilitação, veja vídeo

Além disso, ele é acusado de dirigir bêbado, provocar um acidente com morte e fugir

image

Um empresário da construção civil tem mais de 300 pontos na carteira de motorista, responde a oito processos administrativos por não respeitar as leis de trânsito. E, mesmo assim, dirigia um carro no dia 17 de julho.

Nessa data, Bernardo Romitti, de 36 anos, atropelou o motociclista Fabio Heide, de 43 anos, que morreu devido ao acidente. O motorista foi preso, mas libertado depois de pagar uma fiança de R$ 100 mil.

Uma testemunha do acidente Ricardo Fittipaldi fez questão de tirar fotos na noite do atropelamento. Elas mostram o lugar onde aconteceu a batida, a moto caída e o estado em que ficou o carro do atropelador.

Bernardo Romitti foi detido numa rua próxima por policiais. Na batida, a placa do carro dele caiu e foi levada por Ricardo para os PMs.

O policial militar que atendeu a ocorrência conta que Bernardo estava com fala desconexa, olhos avermelhados, dificuldade motora e andar cambaleante. Disse também que foi preciso uso de força moderada para controlar o motorista.

Bernardo Romitti se negou a fazer o exame do bafômetro, mas um laudo elaborado na delegacia afirma que o motorista  apresentava "sonolência", "olhos vermelhos", "desordem nas vestes" e "odor de álcool no hálito". Ele também mostrava "agressividade".

O motorista foi levado a um distrito policial, onde foi constatado que ele não estava com a carteira de habilitação e apresentava sinais evidentes de embriaguez. Apesar disso, a delegada de plantão, Milena Massuco Suegama, que não quer gravar entrevista, o indiciou por homicídio culposo, o que praticamente isenta o motorista de uma responsabilidade maior pelo acidente.

Histórico

Esse não foi o primeiro acidente automobilístico em que Bernardo Romitti se envolveu. Em 2011, ele bateu o carro na cidade de Ventura, na Florida, Estados Unidos.

Na ocasião, Bernardo dirigia embriagado, sem carteira de motorista e também fugiu depois do acidente. A diferença é que lá não houve vitimas graves. Mesmo assim Bernardo Romitti foi preso.

Aqui no Brasil, depois do acidente em que Fabio Heide morreu, Bernardo ficou apenas dois dias na prisão.

Dez dias depois de ser solto, Bernardo registrou um boletim de ocorrência na mesma delegacia, comunicando o extravio da carteira de motorista. Um fato estranho, já que, na verdade, a carteira de motorista de Bernardo Romitti está vencida há cinco meses.

E não foi renovada por que em março deste ano, ele acumulava mais de 300 pontos na carteira. Além disso, Bernardo Romitti responde a oito processos administrativos por não respeitar as leis de trânsito.

No entanto, ele dirigia normalmente pelas ruas de São Paulo, naquela noite de 17 de julho. A reportagem tentou falar com Bernardo Romitti, mas ele não atendeu a nenhuma ligação.

O advogado dele, Celso Vilardi, é o mesmo que defendeu Thor Batista,  filho do bilionário Eike Batista. Vilardi informou que Bernardo tem bons antecedentes e está a disposição para responder à Justiça.

De acordo com o advogado, Bernardo lamenta a morte de Fabio e alega que estava na mão certa quando o acidente aconteceu e que vai aguardar o resultado da pericia para se manifestar.

Veja o vídeo abaixo:

Do R7, com Domingo Espetacular

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.