domingo , dezembro 11 2016
Home / Educação / Educação: Professores da rede estadual iniciam greve no RN

Educação: Professores da rede estadual iniciam greve no RN

Decisão de greve foi confirmada em assembleia nesta segunda-feira (12).
Professores reclamam de falta de investimentos nas escolas.

Os professores da rede estadual de ensino do Rio Grande do Norte entraram em grave nesta segunda-feira (12) por tempo indeterminado. A decisão foi confirmada em assembleia realizada nesta segunda na Escola Estadual Winston Churchill, em Natal. As aulas estão suspensas a partir de hoje.

Em entrevista ao Bom Dia RN desta segunda, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte/RN), Fátima Cardoso, informou que uma das razões da greve é a falta de investimentos nas escolas. “Nós temos 306 escolas pesquisadas e 94% estão com comprometimento. Isso significa dizer que o governo do estado não vem investindo nas escolas”, disse. Além disso, a presidente do Sinte afirmou que o déficit da rede estadual de ensino é de 1.500 professores e que o Governo não investe os 25% do orçamento na área de Educação, conforme determina a lei, há pelo menos dois anos.

A presidente do Sinte alega que o estado vem descumprindo uma determinação do Superior Tribunal Federal para que as horas extras dos professores sejam pagas. “O estado vem descumprindo essa decisão e nós, inclusive, nós já pedimos o bloqueio dos recursos do governo  estamos aguardando o posicionamento da Justiça”, disse.

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação afirmou que o Sindicato dos Trabalhadores em Educação não tem motivos para deflagrar uma paralisação da categoria e "tenta emplacar uma greve política, buscando envolver os professores da rede estadual na defesa das cessões irregulares de servidores para a entidade". A nota afirma ainda que por recomendação do Ministério Público, a Secretaria de Educação convocou de volta para as salas de aula 36 servidores cedidos ao sindicato. "Como eles não se apresentaram, processos por abandono de cargo estão sendo abertos e suas faltas foram descontadas do salário. Embora o sindicato acuse o Estado de perseguição, o fato é que a secretária da Educação, professora Betania Ramalho, precisava cumprir a recomendação da promotoria, sob risco de sofrer sanções por improbidade administrativa.", informou a secretaria.

A nota diz ainda que a atual gestão já convocou, desde 2011, 3.723 professores aprovados no concurso da Educação e que a secretaria tem uma política de reestruturação da Educação Estadual que vem realizando a compra de equipamentos e a recuperação das escolas.

Do G1 RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.