segunda-feira , dezembro 5 2016
Home / RN / Novo ato da #RevoltadoBusão será definido nesta terça em Natal

Novo ato da #RevoltadoBusão será definido nesta terça em Natal

Encontro está marcado para as 17h no Centro de Convivência da UFRN.
Milhares de pessoas foram às ruas na última quinta para protestar.

Protesto da #RevoltadoBusão, em Natal, percorre a BR-101 (Foto: Fabiano de Oliveira/G1)Protesto da #RevoltadoBusão, em Natal,
percorre a BR-101 (Foto: Fabiano de Oliveira/G1)

Está marcada para esta terça-feira (25) a plenária que deve definir a data do novo protesto do movimento #RevoltadoBusão em Natal. O encontro ocorrerá a partir das 17h no Centro de Convivência da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Com a manifestação da última quinta-feira (20), quando milhares de pessoas foram às ruas da capital potiguar, os protestos por melhorias no transporte público de qualidade chegaram ao 9º ato.
Na última manifestação, além dos protestos contra a má qualidade do transporte público de Natal, os manifestantes trouxeram reivindicações relacionadas a diversos temas, como educação, saúde, insegurança, o Projeto de Emenda à Constituição 37 (PEC 37), entre outros assuntos. Ao G1, o integrante da Comissão de Comunicação, Tiago Aguiar, opinou que é importante manter o foco na pauta do transporte público.
"Lógico que as pessoas estão indignadas por várias coisas, mas acho que é mais interessante ter foco. Vai chegar a hora de pedir educação e saúde. Estamos conseguindo avanços reais, como foi a redução da passagem, e é importante manter o foco", explica. Para Aguiar a adesão de pessoas de vários níveis sociais é bem vinda nos protestos. "Temos muito a conquistar. A volta de linhas de ônibus, serviço de transporte 24 horas, bairros mais interligados. Está no começo, assuntos não faltam para conquistar", diz.

Outro fato que precisa ser revisto segundo alguns integrantes do movimento foi a represália sofrida por partidos, sindicatos e entidades que levaram bandeiras ao protesto. De acordo com relatos de militantes de partidos, cocos, bombas e pedras foram atiradas por grupos de manifestantes. Uma bandeira do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (Sindsaúde) foi queimada no início da manifestação (veja o vídeo). Em nota, o PSTU informou que o presidente estadual do partido, Dário Barbosa, foi ferido no queixo por estilhaços de pedra.

“Todos têm livre direito de protestar. Todos têm direito de levar suas bandeiras”, afirma João Victor Leal, também integrante da comissão de Comunicação do movimento. De acordo com João Victor, parte dos manifestantes quis impedir que pessoas sustentassem bandeiras de partidos ou de entidades de classe. “Nenhum partido deve querer tomar a frente do movimento, até porque nenhum partido tem o poder de levar uma massa como aquela que estava protestando. Mas, durante muitos anos, essas entidades foram as únicas vozes de protesto no país e não devem ser hostilizadas pelos outros manifestantes”, acrescentou.
Protestos vieram após reajuste da tarifa
A série de protestos por melhorias no transporte público de Natal em 2013 começou no dia 15 de maio, dois dias depois da Prefeitura de Natal anunciar o reajuste da tarifa de ônibus de R$ 2,20 para R$ 2,40. O novo valor entrou em vigor no dia 18 de maio.

As manifestações continuaram e no dia 31 de maio, o executivo municipal anunciou a redução de R$ 0,10 no preço após a desoneração dos impostos PIS e o Cofins sobre o transporte urbano, medida adotada pelo governo federal. No dia 4 de junho passou a vigorar a tarifa de R$ 2,30.

Mesmo assim as manifestações prosseguiram, e na última quinta-feira o prefeito Carlos Eduardo decidiu baixar a tarifa para R$ 2,20. O novo preço passou a vigorar neste domingo.

Protesto do movimento Revolta do Busão (Foto: Felipe Gibson/G1)Protestos do movimento #RevoltadoBusão em 2013
foram iniciados em maio (Foto: Felipe Gibson/G1)

Movimento começou no ano passado
O movimento #RevoltadoBusão nasceu em agosto do ano passado, quando a então prefeita de Natal, Micarla de Sousa, decretou o reajuste da tarifa de ônibus de R$ 2,20 para R$ 2,40. Iniciado nas redes sociais, o movimento foi às ruas e começou uma série de protestos contra o aumento no valor da passagem.
Em setembro os vereadores aprovaram a revogação do reajuste da passagem, que voltou ao preço de R$ 2,20 no dia 7 de setembro. No mesmo mês o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (Seturn) suspendeu o benefício "Passe Livre", que serve para integração entre as linhas de ônibus.
A medida do Seturn levou a #RevoltadoBusão novamente às ruas. Nos protestos, dois ônibus foram incendidados, um no local da manifestação, em frente ao shopping Midway Mall, e outro no bairro Nordeste, zona Oeste da capital. Não ficou esclarecida a autoria dos atos. Ainda em setembro o "Passe Livre" foi retomado.

Reivindicações
Consta na pauta de reivindicações do movimento, publicada nas redes sociais, a redução imediata das tarifas em toda a Grande Natal; fim da dupla função motorista/cobrador; bilhetagem única para ônibus e alternativos; integração entre os ônibus da Grande Natal; Passe Livre para estudantes e desempregados; criação de um fórum permanente sobre o transporte público; ônibus 24 horas; renovação imediata de toda a frota; retorno imediato de todas as linhas extintas; construção de corredores exclusivos para ônibus; e malha viária adequada para ciclistas, com criação de ciclovias.

Do G1 RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.