quinta-feira , dezembro 8 2016
Home / Poemas e poesias / Um adeus não aleija, mas magoa No momento cruel da despedida.

Um adeus não aleija, mas magoa No momento cruel da despedida.

Do poeta pernambucano Lima Júnior que brinda seus fãs no Facebook com essa pérola que veremos abaixo.

Não me mande torpedos, por favor,
Nem me ligue restrito, eu não atendo!
Se o amor se rasgou, pra que remendo?
Se remendos não servem para o amor!
Na costura mal feita, sobre a dor
Uma ponta de linha abre a ferida,
Que a agulha do tempo é destemida
E o tecido da alma rompe atoa
Um adeus não aleija, mas magoa
No momento cruel da despedida.

Lima Júnior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.