quarta-feira , dezembro 7 2016
Home / RN / Conserto de adutora deixará 17 cidades do RN sem abastecimento de água por 3 dias

Conserto de adutora deixará 17 cidades do RN sem abastecimento de água por 3 dias

Caern explica que tubulação será trocada para evitar vazamentos.
Adutora Monsenhor Expedito abastece 30 municípios do estado.

A realização de reparos em um trecho de 60 metros da adutora Monsenhor Expedito, no município de Boa Saúde, região Agreste do Estado, deixará 17 cidades do Rio Grande do Norte sem fornecimento de água entre terça (28) e sexta-feira (31). A Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) esclarece que o serviço será feito para evitar vazamentos.
A tubulação antiga será trocada por uma nova, de 450 milímetros. A mudança só será possível, segundo a companhia, com a suspensão no fornecimento de água por no máximo 72 horas, começando às 7h da terça-feira (28) até sexta-feira (31), para 17 dos 30 municípios abastecidos pela adutora.
As cidades que terão o fornecimento de água suspenso são: Boa Saúde, Serra Caiada,Senador Elói de Souza, parte de Bom Jesus, Lagoa dos Velhos, Barcelona, São Tomé,Sítio Novo, Rui Barbosa, Tangará, Japi, São Bento do Trairi, Santa Cruz, Lajes Pintadas,Campo Redondo, Coronel Ezequiel e Jaçanã.
Os serviços serão realizados nas proximidades da Estação de Bombeamento (EB3) na zona rural de Boa Saúde.
De acordo com o chefe da Unidade de Manutenção do Abastecimento de Água da Regional Litoral Sul, Dídimo Oliveira Dantas, a tubulação a ser substituída é de ferro galvanizado envelopada de uma tubulação de concreto.
Quando acontecem vazamentos, comuns nesse trecho, os técnicos precisam quebrar o concreto para localizar os furos, provocando demora na execução dos trabalhos.  O novo trecho de 60 metros não terá o revestimento de concreto, informou Dídimo.
Dídimo recomenda aos clientes que utilizem a água de forma racional para não sofrerem com a falta do produto durante os serviços. Ele acredita que 48 horas são suficientes para a execução dos serviços da troca de tubulação, mesmo assim ampliou para 72 horas o prazo de paralisação a fim de oferecer uma margem maior de segurança.
O chefe da unidade lembrou ainda que mesmo ligando o sistema antes, a água só chega aos imóveis de forma gradativa, enchendo primeiro os reservatórios da empresa.

Do G1 RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.