sexta-feira , dezembro 9 2016
Home / Nacional / Chuva rompe membrana de cobertura da Arena Fonte Nova

Chuva rompe membrana de cobertura da Arena Fonte Nova

Apesar do incidente, ninguém ficou ferido

Um dos 36 paineis da membrana de cobertura da Arena Fonte Nova, em Salvador, rompeu-se na manhã desta segunda-feira (27). De acordo com a assessoria da Fonte Nova Negócios e Participações, responsável pelo empreendimento, o incidente ocorreu por volta das 8h e ninguém ficou ferido. A Arena Fonte Nova é um dos estádios que vai receber os jogos da Copa das Confederações, que começa em 15 de junho, e da Copa do Mundo de 2014.
Clássico Bahia x Vitória, dia 7 de abril, foi o primeiro jogo na nova Arena. Foto: Futurapress

Em nota, a empresa informou que o rompimento foi provocado pelo acúmulo de água na estrutura, localizada no setor leste do estádio, em razão das "fortes chuvas que caíram na madrugada em Salvador". As causas do incidente estão sendo apuradas e técnicos trabalham no local para os serviços de reparo.

De acordo com a Defesa Civil de Salvador, a chuva que atingiu o município começou na noite de domingo (26) estendendo-se por toda a madrugada e parte da manhã desta segunda. Até as 11h30, o órgão recebeu 43 solicitações relacionadas, principalmente, a casos de deslizamento de terra. Também houve registros de alagamentos, desabamentos parciais e ameaças de desabamentos.
Dilma descalçou-se na inauguração do estádio

A Arena Fonte Nova foi inaugurada, em 5 de abril, pela presidenta Dilma Rousseff que, na ocasião, chegou a descalçar os sapatos para dar um chute numa bola que estava no centro do campo. O primeiro jogo oficial no novo estádio ocorreu dois dias depois, entre Bahia e Vitória, pelo campeonato baiano.

A Fonte Nova custou R$ 591,7 milhões e tem capacidade para 55 mil torcedores, com 5 mil assentos móveis. Do total de investimentos, R$ 323,6 milhões foram financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômica e Social (BNDES) e R$ 268,1 milhões são recursos estaduais. Realizado por meio de parceria público-privada, a gestão do estádio será feita, nos próximos 35 anos, pelas empresas OAS e Odebrecht, que fizeram a obra.

A Fonte Nova foi inaugurada pela primeira vez em 1951 e implodida em 29 de agosto de 2010 para dar lugar ao novo projeto, mais moderno e cumprindo as exigências da Federação Internacional de Futebol (Fifa). Segundo o Portal da Copa do Mundo do governo federal, mais de 10 mil trabalhadores estiveram envolvidos na construção, que durou cerca de dois anos e meio.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.