sábado , dezembro 3 2016
Home / Música / Remanescentes do Charlie Brown Jr formam nova banda “A Banca” promete

Remanescentes do Charlie Brown Jr formam nova banda “A Banca” promete

“Foi horrível, pela falta do cara”, resumiu Champignon ao tratar da primeira apresentação da banda A Banca, que traz ex-integrantes do Charlie Brown Jr mais a baixista Lena. O grupo foi formado pouco mais de um mês depois da morte de Chorão, líder e vocalista do Charlie Brown, no dia 6 de março. A Banca havia acabado de “estrear” nesta quinta-feira (11) ao gravar participação no “Altas Horas”, nos estúdios da TV Globo em São Paulo.
a-banca
Da esquerda: Marcão (guitarrista), Thiago Castanho (guitarrista), Serginho Groisman, Champignon (vocalista), Marcelo D2 (que fez participação especial na gravação do ‘Altas horas’), Bruno Graveto (baterista), Lena (nova baixista de A Banca) e Alexandre (filho de Chorão) (Foto: TV Globo / Reinaldo Marques)

Assumindo a função de vocalista e deixando o baixo, Champignon e os companheiros falaram com jornalistas em encontro que sucedeu a gravação do programa. Diziam-se emocionados. O “horrível”, segundo o ex-baixista do Charlie Brown, referia-se à ausência de Chorão, e não à recepção da plateia ou a questões técnicas. “A gente quer encarar com o maior otimismo do mundo, que é como ele [Chorão] encarava os problemas dele.” Mais tarde, ele comentaria que o resultado da estreia foi “bacana”.

“Charlie Brown não existe sem o Chorão. A Banca foi uma ideia do Champignon”, acresscentou Thiago Castanho, guitarrista do grupo. A Banca contará com a nova baixista Lena e com Champignon nos vocais, além de Marcão (guitarra), Thiago Castanho (guitarra) e Bruno Graveto (baterista).

Champignon afirmou: “O Charlie Brown não deixou de ser a nossa banda. Só que agora é A Banca do Charlie Brown”. Sobre possíveis críticas por ter voltado à ativa precocemente, Champignon respondeu: “Se a gente ficar em casa, a gente morre também”. O guitarrista Castanho completou: “A gente tem 20, 25 famílias que dependem disso aqui”, citando ainda as mulheres e filhos dos integrantes e da equipe da banda

Sobre material novo, o guitarrista Marcão indicou: “Tem previsão de lançar no final do ano ou começo do ano que vem. A gente já tem algumas ideias. A gente carrega o DNA do Charlie Brown Jr, só que agora com outro formato”. Uma diferença fundamental entre o Charlie Brown Jr e A Banca é que a nova banda traz uma mulher.

lena

Lena, baixista de A Banca (Foto: TV Globo / Reinaldo Marques)

Nova baixista
Além de músicos convidados, o “Altas Horas” em tributo a Chorão teve participação do filho do cantor, Alexandre. Um dos momentos de maior emoção ocorreu quando, durante uma interrupção das gravações, Champignon e Marcão começaram a improvisar uma versão de “Lugar ao sol”, sucesso do Charlie Brown Jr. Bruno Graveto logo se juntou aos companheiros de banda e o próprio Alexandre passou a cantar, sem microfone, os versos da música. A plateia correspondeu e prosseguiu com a canção até o fim. Também presente no estúdio, a mãe de Alexandre e primeira mulher de Chorão, Thais Lima, chorou bastante. Mais tarde, o apresentador Serginho Groisman perguntou a Thaís sobre a época em que ficou grávida. “Eu tinha 19 anos. [Foi uma] gravidez de dois adolescentes.” Segundo ela, o casamento com Chorão durou um ano.

Ainda durante a gravação do “Altas Horas” em tributo a Chorão, Lena foi perguntada por uma pessoa da plateia sobre como estava se sentindo ao fazer parte de A Banca. “[Estou me sentidon ainda] Como fã. Não é normal estar tocando com esses caras”, ela respondeu. Mais tarde, no encontro com a imprensa, Champignon comentou o assunto. “Depois que o Chorão morreu, a gente ficou abalado, em choque. Cinco semanas sem tocar, pensando em prosseguir sem o cara. A gente queria voltar logo para a estrada.” Ele diz que o fato de ter se lembrado da Lena e de ela ter topado entrar para a banda e se entrosado garantiu que eles conseguissem reiniciar as atividades.

Champignon brincou sobre o jeito que Lena toca: “Eu a via tocar desde 1999, 2000. Ela fazia parte da cena musical de Santos”. E fez uma comparação entre o seu próprio estilo e o da nova companheira. “Aqui é dedo de pedreiro”, falou sobre si próprio. “Tinha que ser alguém de responsa. E por incrível que pareça, é uma menina”, afirmou ele, reforçando um elogio já feito na gravação. “Eu sabia que ela podia dar o peso que essa banda merece”.

Primeiro show
No dia 4 de maio a banda faz seu primeiro show, em Lorena (SP), segundo a assessoria de imprensa de A Banca. Champignon complementou:”A gente vai fazer uma turnê em homenagem ao Chorão e ao Charlie Brown Jr. Até o final do ano deve ter um single, e o disco deve sair em abril.” Sobre o fato de a banda tocar músicas do Charlie Brown nos shows, Champignon justificou: “As músicas são nossas também”.

Marcão adiantou que “os shows vão contar com participações especiais”. A assessora de imprensa mencionou algumas possibilidades, mesmo sem nada acertado: Falcão, d’O Rappa, Di, do NX Zero. e Alexandre, do Natiruts. Na gravação do “Altas horas”, A Banca recebeu músicos que cantaram hits do Charlie Brown: Dinho Ouro-Preto (“Tudo que ela gosta de escutar”), Zeca Baleiro (“Proibida pra mim”), Marcelo D2 (“Samba Makossa”, originalmente da Nação Zumbi, mas regravada pelo grupo de Chorão) e Negra Li (“Não é sério”).

Disco inédito do Charlie Brown
Sobre o último disco do Charlie Brown Jr., que ainda vai ser lançado, Thiago diz: “É um disco de 13 música inéditas. A gente estava no processo de finalização [quando Chorão morreu]. É um CD muito emotivo”, explicou ele, citando que Chorão já havia gravado as vozes. “A gente quer lançar o mais rápido possível. No máximo em dois meses, pelo fato de os fãs terem muita curiosidade.”

Do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.