domingo , dezembro 11 2016
Home / RN / Prefeito de Currais Novos apresenta carta aberta a população sobre limpeza urbana

Prefeito de Currais Novos apresenta carta aberta a população sobre limpeza urbana

A propósito de alguns comentários surgidos sobre o serviço de limpeza urbana na cidade de Currais Novos, tenho a informar:
1)    – Para restaurar o equilíbrio financeiro do município, tenho que elevar as receitas (o que não é fácil) e reduzir as despesas. Se não fizer isso, vou fracassar, tendo que deixar para o futuro gestor contas a pagar, podendo responder judicialmente por isso. Minha vida profissional inteira, quer como contador, quer como empresário, foi perseguindo esse objetivo.
2)    – Fiel a esse princípio, projetei um novo formato de coleta de lixo, utilizando caminhões leves (3/4), inspirado em modelos utilizados na Ásia (no portal de compras chinês “alibaba” pode ser encontrado vários), de forma que a coleta fosse feita em carro fechado, sem que houvesse compactação, como ocorre nos caminhões cucas, pois isso facilitará o trabalho dos recicladores onde o lixo é depositado. A propósito, convém anotar que foram cadastradas 38 pessoas que trabalham no lixão e que integrarão uma cooperativa, prestes a ser constituída.
3)    – Para adotar esse modelo, a Acauan Mineração desenvolveu um protótipo para teste. Portanto, o container (baú) que está em teste na coleta do lixo, foi confeccionado na Mina Barra Verde ( Acauan), com todas as despesas por ela pagas, não foi locado a Prefeitura e está trabalhando de graça. Em teste!
4)    – Quanto a licitação, como cidadão, não posso alegar desconhecimento da Lei e como Prefeito Municipal, muito menos. O que fiz: contratei emergencialmente quatro caminhões basculantes locais (contratos individuais), ao preço de R$ 4.500,00/mês + consumo de óleo diesel (cada caminhão) e a mão de obra – 48 pessoas (também contratos individuais) – com remuneração média mensal de R$ 1.000,00 (cada pessoa). Portanto, não existe uma empresa fazendo a coleta do lixo.
5) – Quero registrar, também, que diferentemente da JMT, onde os garis eram da cidade mas os caminhões não, neste modelo emergencial, tudo é daqui, gerando mais emprego – e acredite – é o maior problema desta cidade e o maior desafio da minha gestão. A opção por esse modelo de limpeza urbana – volto a ressaltar – é decorrente de uma constatação óbvia: se antes se gastava R$ 2.000.000/ano, com esse modelo vou gastar R$ 1.000.000. Portanto, sobra a metade para o município desenvolver mais ações e manter seus compromissos em dia. Temos várias demandas represadas: piso salarial do professor, plano de cargo e salários dos servidores, baixa remuneração dos médicos do PSF…
6)    – Quanto a coleta do lixo , não tenho ouvido reclamações de que ela não esteja sendo feita regularmente. Apenas algumas críticas (e tomo como construtivas), que as vezes sacos caem ou voam de cima das caçambas. Tenho solicitado ao nosso encarregado que exija dos caçambeiros o enlonamento correto para evitar esses problemas. Quero registrar que todos os municípios da micro-região do Seridó oriental fazem a coleta do lixo dessa forma. Tenho ouvido reclamações quanto a retirada de entulho (metralha) que é colocado nos canteiros. Lembro que a coleta era bem feita pela JMT, mas ela não retirava o entulho. Lembram-se como estavam os canteiros em 31 de dezembro? Tenho tido dificuldades em manter os canteiros limpos porque a retroescavadeira do município tem apresentado sucessivos problemas, mas já iniciei o processo licitatório para aquisição de uma mini-carregadeira, com recursos próprios (já economizados), para ajudar nessa tarefa.
7)    – No que tange ao modelo ter sido implantado na administração de Zé Lins, confirmo que como muita honra fui seu Vice Prefeito, mas não fui responsável pela terceirização do lixo e jamais adotaria um modelo desse na atual conjuntura, onde todos os municípios estão com dificuldades financeiras.
8)   –  Passado no teste – e quero dizer que já recebi centenas de telefonemas e mensagens de aprovação – abrirei o processo licitatório (ainda neste mês de abril). Então, quem se habilitar com seu caminhão 3/4 (e existem muitos na cidade) e ganhar a licitação, é só encomendar em alguma oficina da cidade (Samuel Araújo, Silinhas, Homero Silva, Nena, Zé Paulino, etc). O custo para a Prefeitura será ainda menor, pois por ser caminhão leve, a locação é mais barata e o consumo de diesel é menor. A Acauan como empresa que tem compromisso com a cidade, dará o suporte técnico que se fizer necessário às oficinas. De graça! E o protótipo? Pertence a Acauan, ela não entrará em licitação. Quem viver verá!
9) – Finalizando, informo que estarei sempre à disposição dos vereadores, das instituições, da sociedade em geral para quaisquer esclarecimentos. O povo depositou confiança em mim e honrarei essa confiança.
Vilton Cunha
Prefeito Municipal de Currais Novos
10/04/2013
ASSECOM Currais Novos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.