domingo , dezembro 4 2016
Home / Polícia / Polícia prende o quarto suspeito de matar dentista na Grande São Paulo

Polícia prende o quarto suspeito de matar dentista na Grande São Paulo

PM recebeu denúncia sobre paradeiro de Thiago de Jesus Pereira

A dentista Cinthya Magaly foi queimada viva durante um assalto dentro de seu consultórioReprodução

A Polícia Militar prendeu na madrugada desta segunda-feira (29) o quarto e último integrante do grupo de criminosos acusado de matar a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, em São Bernardo do Campo, no ABC, Grande São Paulo, na última quinta-feira (25).

Thiago de Jesus Pereira, de 25 anos, foi preso na rua Eduardo de Abreu, no bairro Engenheiro Cardoso, na cidade de Itapevi, na Grande São Paulo, por volta das 3h. Um tenente do 20º Batalhão da PM recebeu uma denúncia por telefone indicando o endereço onde o suspeito estava escondido.

A PM cercou o local e prendeu Pereira. De acordo com a PM, ele negou participação no assassinato da dentista, mas o DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa) confirmou seu envolvimento no crime.

Os outros três suspeitos de queimar e matar Cinthya — entre ele um adolescente de 17 anos — foram detidos na madrugada de sábado (27) e confessaram o crime. O menor de idade declarou que foi o responsável por atear fogo na vítima, segundo a delegada Elisabete Sato, diretora do DHPP (Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa), que interrogou os suspeitos.

O adolescente foi levado para uma unidade da Fundação Casa de São Bernardo do Campo enquanto Jonatas Cassiano Araújo foi encaminhado para um CDP (Centro de Detenção Provisória) em São Caetano do Sul e Vitor Miguel de Souza está preso em Diadema.

O crime

A dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, foi queimada viva durante um assalto dentro de seu consultório, na rua Copacabana, bairro do Jardim Anchieta, em São Bernardo do Campo. De acordo com a Polícia Militar, Cinthya atendia uma paciente — cujo nome não foi divulgado — quando criminosos apertaram a campainha. Um dos bandidos disse que precisava de atendimento odontológico e a dentista abriu o portão. Logo, mais dois invadiram a casa. A paciente ficou com os olhos vendados durante toda a ação e teve a bolsa, o celular e dinheiro roubados.

Cinthya disse que estava com pouco dinheiro, mas forneceu o cartão do banco e a senha. Os criminosos sacaram R$ 30 da conta da dentista em um banco próximo ao local do crime.

Segundo a paciente, única testemunha do crime, por volta das 12h30, a dentista começou a passar mal e, um dos bandidos, que aparentava ser menor de idade, resolveu encharcá-la com álcool para assustá-la. Segundo informações da polícia, eles queimaram a vítima por não terem conseguido levar mais dinheiro.

De acordo com o delegado seccional de São Bernardo, Waldomiro Bueno Filho, a paciente — que não ficou ferida — conseguia ouvir a dentista gritando "não faz isso" e pedindo socorro.

— Ela tentou apagar o fogo quando os bandidos fugiram, mas não foi possível. A dentista morreu em menos de três minutos.

Do R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.