sexta-feira , dezembro 9 2016
Home / Futebol / Corinthians goleia San José pela Libertadores

Corinthians goleia San José pela Libertadores

O reencontro com o San José, 50 dias depois da tragédia de Oruro, não teve o caso Kevin como centro das atenções. Ignorada pela organização da partida, a morte do jovem boliviano passou praticamente em branco na partida em que o Corinthians assegurou a primeira posição do grupo 5 da Libertadores. Com Romarinho como grande destaque, a equipe alvinegra suou pouco e bateu o time boliviano por 3 a 0, fechando com saldo positivo a fase inicial do torneio continental.
Com a vitória no Pacaembu, o Corinthians vai a 13 pontos, mesmo número do Tijuana, na segunda colocação. Agora, a equipe do técnico Tite só aguarda o encerramento das disputas nos outros grupos para conhecer seu primeiro rival no mata-mata da Libertadores, com a expectativa de terminar a fase entre os três melhores de todas as chaves.
Mais que isso, para os atuais campeões do torneio, a liderança é um prêmio depois de uma fase marcada por muitos obstáculos, apesar dos rivais não terem sido dos mais complicados. Nenhum problema, no entanto, foi maior que a repercussão da tragédia de Oruro, quando Kevin Espada, de 14 anos, morreu atingido por um sinalizador de navio disparado por corintianos que assistiam à partida contra o San José, na primeira rodada da Libertadores.

Libertadores nesta quarta-feira34 fotos

22 / 34
Romarinho comemora gol do Corinthians sobre o San José pela Libertadores Leonardo Soares
Nesta quarta, o incidente completou 50 dias, mas praticamente não foi lembrado no Pacaembu. O Corinthians, desde que encerrou as negociações com a família para fazer uma doação e prestou luto oficialmente, evita tocar no assunto para não ser acusado de uso político. Por conta disso, a organização da partida não lembrou de Kevin em nenhum momento.
Coube à torcida voltar ao caso, mas sob a ótica dos 12 torcedores que seguem presos em Oruro, acusados de participação no incidente. Antes do apito inicial, as organizadas fizeram um protesto com direito a carro de som para pedir a soltura imediata do grupo.
Dentro do estádio, o San José relembrou a morte ao entrar em campo com uma faixa relembrando o caso. Na arquibancada, as organizadas ensaiaram um grito pedindo a libertação dos 12 presos, mas não foram acompanhadas pelo resto do estádio. E foi só.
O time do Corinthians, totalmente alheio ao caso, fez o que lhe cabia. Romarinho, opção de Tite para a armação do jogo, mostrou disposição do início ao fim. Foram deles os principais lances, especialmente com sequências de dribles rápidos pela direita. Guerrero, perfeito no papel de pivô, também ajudou deixando companheiros na cara do gol. Em um desses momentos, Emerson saiu na cara do gol e foi derrubado, mas o juiz não quis marcar o pênalti.
O adversário estava longe de ser um problema para o Corinthians. Já eliminado, o San José se deu ao luxo de poupar alguns de seus titulares. O atacante Saucedo, único do time que foi convocado para o amistoso entre Brasil e Bolívia do último sábado, por exemplo, ficou no banco.
Esse “desleixo” ajudou Romarinho. Aos 26 minutos, a jogada ensaiada do Corinthians deu certo, com Emerson cobrando falta da direita. Livre, Romarinho apareceu na marca do pênalti e cabeceou no canto do goleiro Lampe, que nada pôde fazer.
Foi a pá de cal em qualquer chance de zebra no Pacaembu. O San José passou a abusar das faltas com a conivência do juiz. Romarinho, Emerson e Paulinho formavam um triângulo na direita que gerava as melhores oportunidades do time. Em uma delas, Guerrero chutou por cima do gol rival após um belo cruzamento de Romarinho.
Aos 45 minutos, Tordoya parou um contra-ataque corintiano com falta, levou o segundo amarelo e deu ainda mais tranquilidade ao Corinthians. Foi a senha para Tite tentar alçar voos mais altos na partida, pensando na classificação geral da primeira fase.
Logo aos 12 minutos, o treinador chamou Alexandre Pato, para delírio da torcida. Três minutos depois, antes mesmo da entrada do companheiro de posição, Emerson ganhou da defesa e encontrou Guerrero livre dentro da área. O peruano dominou e bateu na frente de Lampe, que chegou a encostar na bola, mas não impediu o 2 a 0.
Pato, então, entrou na vaga de Danilo, deixando o Corinthians com quatro atacantes no setor ofensivo. O Corinthians se lançou de vez para o ataque e criou boas chances. Edenilson ainda fez o terceiro pouco antes do apito final.
Agora, o Corinthians volta a campo somente no próximo domingo, pelo Campeonato Paulista, quando encara a Linense, no Pacaembu.

Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.