domingo , dezembro 4 2016
Home / Nacional / Fortes chuvas abrem crateras e provocam estragos na capital paulista

Fortes chuvas abrem crateras e provocam estragos na capital paulista

São Paulo – Os paulistanos enfrentam neste início de ano transtorno e preocupações com os estragos causados pelas fortes chuvas que vêm caindo no município. Na noite passada, abriu-se uma cratera na Rua Manoel Pereira da Silva, na zona leste da capital, bloqueando três das quatro faixas da via, numa extensão de 120 metros. A via é uma importante ligação entre a capital e a cidade de São Caetano do Sul, no ABC Paulista. Na zona norte, um enorme buraco que surgiu na Rua Willis Roberto Banks na terça-feira (15) assustou os moradores e levou a Defesa Civil a interditar duas casas.

De acordo com o Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee), a cratera da zona leste surgiu devido a um processo de erosão na margem direita do Rio Tamanduateí, localizado ao lado da Rua Manoel Pereira da Silva. O secretário estadual de Saneamento e Recursos Hídricos, Edson Giriboni, explicou que o problema foi provocado por infiltração de água nas obras de canalização do córrego. Isso teria encharcado o solo, que acabou cedendo.

Em nota, o Daee informou que foi contratada, em caráter emergencial, uma empresa para recuperar a margem do rio, deixando o local pronto para que a prefeitura possa recompor o asfalto. As obras serão iniciadas hoje (17) e o trânsito deverá ser liberado dentro de 30 dias.

O buraco que surgiu na zona norte, com 8 metros de largura e 15 metros de comprimento, foi aberto em razão do grande volume de água que forçou galerias e ramais. “Essa sobrecarga resultou em rompimentos isolados desse sistema de captação”, disse, em nota, a subprefeitura de Pirituba. No sábado (12), a subprefeitura iniciou os serviços de reconstrução do poço de visita de galeria da rua. A via permanece interditada e a expectativa é que uma obra emergencial solucione o problema em até 20 dias.

O coordenador da Defesa Civil, Jair Paca, visitou o local e interditou preventivamente dois imóveis. Segundo ele, cinco pessoas tiveram de deixar suas casas e estão abrigadas com amigos e parentes.

Desde o início do mês de dezembro, as chuvas provocaram a morte de 12 pessoas e ferimentos em  59 no estado de São Paulo. A maioria (sete) foi atingida por raios e três foram levadas por enchentes. Segundo a Defesa Civil, 2.163 pessoas ficaram desalojadas e 260 desabrigadas (quando há dependência de abrigo provido pelo setor público).

Dos 129 municípios paulistas monitorados pela Defesa Civil , 114 estão em estado de observação, 14 em estado de atenção e um (Cubatão) em estado de alerta.

Da Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.