sábado , janeiro 21 2017
As gostosas do BBB em ensaios da Playboy e Sexy
Home / Nacional / Campanha quer alertar população sobre importância do preservativo feminino

Campanha quer alertar população sobre importância do preservativo feminino

Dia Mundial de Luta contra a Aids, lembrado hoje (1º), uma campanha da Secretaria de Saúde e da Secretaria da Mulher do Distrito Federal (DF) quer alertar a população sobre a importância do uso do preservativo, principalmente o feminino, como forma de evitar a contaminação pelo vírus HIV. Durante todo o dia, profissionais de saúde e voluntários distribuem aos frequentadores do Parque da Cidade, camisinhas e folhetos informativos sobre os meios de transmissão da doença e as formas de prevenção.
De acordo com a secretária da Mulher do DF, Olgamir Amancia, é preciso desassociar a ideia do uso do preservativo à infidelidade conjugal e reforçar a importância de as pessoas se cuidarem, independentemente do gênero.
“Vivemos em cultura ainda machista, em que muitas vezes é o homem que dita as regras nos relacionamentos. Com isso, muitas mulheres acabam não pedindo aos companheiros que usem o preservativo, às vezes porque têm medo de que eles desconfiem de infidelidade por parte da mulher”, disse.
“Mas se as mulheres têm acesso à camisinha feminina, conquistam um instrumento de força e de luta, ganham autonomia e empoderamento”, completou, acrescentando que o governo está fazendo um levantamento para verificar o nível de conhecimento das mulheres sobre o preservativo feminino e a satisfação com seu uso.
Ainda como parte da mobilização de hoje, os frequentadores do Parque da Cidade também fizeram testes para detecção do HIV e da Hepatite C, doença transmitida pelo contato com sangue contaminado que compromete o funcionamento do fígado. Os resultados saem, no máximo, em 30 minutos.
A advogada Mariana Salomão, 25 anos, interrompeu a caminhada para fazer os dois testes. “O resultado sai rápido e como durante a semana a gente não tem muito tempo para pensar sobre isso, vale a pena dar uma paradinha para ver se está tudo bem”, disse, enquanto esperava para ser atendida.
O militar Jorge Michel Ferreira, 33 anos, também se exercitava quando viu a mobilização e resolveu fazer o teste. Ele também levou 50 folhetos sobre a transmissão do vírus HIV para distribuir no condomínio em que mora, no Guará, região administrativa de Brasília. “Além de sair tranquilo daqui, sabendo que está tudo bem com a minha saúde, vou levar o material para incentivar meus vizinhos a se prevenirem. É importante todo mundo ficar alerta e se cuidar”, disse.
Durante a mobilização, representantes de organizações não governamentais voltadas à luta contra a aids fincaram na terra cruzes com o símbolo do combate à doença em preto para lembrar as mortes ocorridas por causa do vírus HIV. Eles também reivindicaram investimentos e intensificação das ações por parte do governo do Distrito Federal.
A diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do DF, Sônia Geraldes, admitiu que a pasta enfrenta dificuldades para executar o orçamento repassado pelo governo federal, no valor de R$ 1,5 milhão por ano, e informou que estão sendo estudadas parcerias com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) para acelerar a aplicação dos recursos na área, principalmente, em ações de prevenção e conscientização.

Fonte: Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A assistente de palco do João Kleber, Dayse Brucieri
error: Você não tem permissão para usar essa função.