sexta-feira , dezembro 9 2016
Home / Poemas e poesias / Uma bodega no mato não precisa ser sortida.

Uma bodega no mato não precisa ser sortida.

00 Liteartura popular logo

Uma saca de feijão
com a boca arregaçada
linguiça dependurada
cinco barras de sabão;
quatro sacos de carvão
uma caixa de bebida
na prateleira comprida
veneno pra matar rato
uma bodega no mato
não precisa ser sortida.

Quatro latas de sardinha
pacotes de soda preta
elástico, linha e chupeta
cuscuz, ovos de galinha;
uma saca de farinha
remédio que tem saída
um bêbado dando mordida
na sobrecoxa de um pato
uma bodega no mato
não precisa ser sortida.

Mote: Arievaldo Viana
Glosas: Léo Medeiros
Currais Novos, 25/01/2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.