sábado , dezembro 3 2016
Home / Saúde / Médico investigado por mortes de fetos e bebê em Caicó, RN, é demitido

Médico investigado por mortes de fetos e bebê em Caicó, RN, é demitido

Valdemar Araújo Medeiros é acusado de negligência médica em Caicó/RN (Foto: DivulgaCand/TSE)

O médico ginecologista Valdemar Araújo de Medeiros, que é investigado pelo Ministério Público por causa da morte de pelo menos um feto e um recém-nascido no Hospital Regional de Caicó, teve o contrato rescindido com a Secretaria de Saúde do Município. O desligamento foi publicado no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (8). A medida atendeu a uma recomendação do MP.

Valdemar foi procurado pelo G1 para comentar o caso. "No momento, não tenho declaração a dar. Só isso, ouviu?", limitou-se a dizer. O médico é vereador em Caicó. Ele concorreu à reeleição este ano, mas não ganhou.

O Ministério Público Estadual (MPE) investiga a morte de pelo menos um feto e um recém-nascido na cidade de Caicó, distante 256 quilômetros de Natal. As mortes ocorreram entre os dias 26 e 28 de outubro deste ano, quando duas mulheres deram entrada no Hospital do Seridó sentindo contrações e não foram atendidas em tempo hábil, segundo relatos de familiares.

O médico ginecologista Valdemar Araújo Medeiros, de 71 anos, que é vereador da cidade, cumpria uma escala de plantão de 72 horas ininterruptas e era responsável pelos procedimentos. O promotor de justiça em substituição legal na Comarca de Caicó, Diogo Maia Cantídio, colheu depoimentos de familiares e representantes de órgãos ligados à Saúde em Caicó. Ele formulou denúncia contra o médico e a apresentou ao Conselho Regional de Medicina do RN. O CRM/RN confirmou que abriu sindicância para investigar o caso.

O vice-presidente do CRM/RN, Francisco Braga, afirmou que a ampla divulgação na mídia dos casos relacionados ao médico Valdemar Araújo Medeiros, e o fato do delegado do Conselho em Caicó ter sido procurado pelo MP, são fatos suficientes para instauração da sindicância. "O caso será apurado em Caicó e Currais Novos. Tudo que for identificado será colocado em um relatório para apreciação dos membros do Conselho de Ética do CRM. A punição máxima que o médico por ter é a perda do diploma. Isso, porém, após a abertura e julgamento do processo", acrescentou.

De acordo com o promotor Diogo Maia Cantídio, em dois anos foram apresentadas três denúncias contra o médico Valdemar Araújo Medeiros. Os relatos vão desde a falta de interesse do médico em realizar procedimentos como curetagem até o parto de duas mulheres que recorreram ao Hospital do Seridó, cujos filhos acabaram morrendo. Um deles, ainda no ventre da mãe. "Todos os casos ocorreram entre os dias 26 e 28 outubro, da sexta ao domingo passados. O mais impressionante é que o mesmo obstetra estava de plantão nos três dias", ressaltou o promotor.

Fonte: G1 RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.