sábado , dezembro 10 2016
Home / Polícia / Detentos do Núcleo de Custódia de Natal impedem entrada de novos presos e se rebelam

Detentos do Núcleo de Custódia de Natal impedem entrada de novos presos e se rebelam

Um princípio de rebelião foi contido no Núcleo de Custódia da Polícia Civil, no bairro de Cidade da Esperança, zona Oeste de Natal, durante a manhã desta terça-feira (16). Segundo o delegado Albérico Noberto, diretor de Polícia da Grande Natal, os presos que estão detidos no local não permitiram que novos detentos entrassem na carceragem, que está superlotada.

O delegado diz que os detentos custodiados no núcleo impediram que policiais colocassem mais presos na carceragem, provocando um tumulto. O princípio de rebelião teve de ser contido por policiais da Delegacia Especializada de Furtos e Roubos, localizada no mesmo prédio do Núcleo de Custódia.

Por causa do rebelião, quatro presos que foram enviados ao Núcleo de Custódia nesta manhã encontram-se detidos no corredor da unidade. “O problema é que pelo menos dois deles são de alta periculosidade. São membros da família Carneiro e que foram presos ontem à noite, acusados de roubo de carro”, detalha o delegado. Pelo menos durante esta manhã, a visita de advogados ou a entrada de qualquer outra pessoa está proibida, até que os ânimos se acalmem. Até às 12h desta terça-feira (16), o Núcleo permaneceu fechado. Os dois presos pertencentes à família Carneiro foram transferidos ainda nesta manhã.

Albérico Noberto afirma que por atualmente estarem custodiados 83 homens em um espaço que deveria comportar, no máximo, 20, os detentos simplesmente não querem que mais ninguém seja colocado na carceragem. O problema, segundo o diretor da DPGRAN, é que a Coordenação de Administração Penitenciária não disponibiliza vagas para retirar os detentos que se encontram no Núcleo de custódia. “Eles estão encarcerados em condições subumanas, mas não podemos fazer muita coisa sem haver vagas no sistema prisional”

Fonte: DN Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.