segunda-feira , dezembro 5 2016
Home / variedades / Xuxa não entra em acordo com a record e emissora pode pagar 2 milhões por exibir fotos de nudez

Xuxa não entra em acordo com a record e emissora pode pagar 2 milhões por exibir fotos de nudez

Xuxa parece nunca se livrar de seu passado. Trabalhos sensuais feitos pela apresentadora há duas décadas são pauta, hoje, de três processos movidos por ela na Justiça. Em um deles, que já está em fase final, a Band foi condenada a pagar 1,1 milhão de reais por exibir fotos da apresentadora sem autorização, valor que, atualizado, pode chegar a 2 milhões de reais. 
Em outro, ainda no início, Xuxa briga para que o Google seja responsabilizado por buscas que forneçam imagens picantes suas como resultado. 
No terceiro, que teve audiência preliminar nesta quinta-feira, no Rio, a apresentadora processa a Record por ter levado ao ar no Programa do Gugu, no primeiro semestre do ano, fotos quentes feitas há mais de vinte anos. A emissora da Igreja Universal não apresentou proposta de acordo na audiência e, como a Band, pode ter de arcar com uma indenização milionária.

“Não é porque a pessoa fez uma foto há mais de vinte anos para uma revista masculina que deve ficar para sempre refém dela. Uma coisa é a pessoa que tem a revista e pode usá-la, outra é uma emissora levar as fotos ao ar”, diz o advogado de Xuxa, Maurício Lopes, que a representou na audiência desta quinta. O defensor afirma que, na ação, não foi sugerido um valor para a indenização. Mas ele acredita que o perito judicial responsável por avaliar o dano vá indicar uma quantia considerável. “O Programa do Gugu vai ao ar aos domingos, tem boa audiência.” Segundo Lopes, seja qual for o valor fixado pela Justiça, ele será doado pela apresentadora para a fundação que leva o seu nome e atende a crianças carentes.

Além de arcar com uma indenização por dano moral e material, a Record está sujeita a uma multa de 1 milhão de reais, caso volte a veicular qualquer das imagens sensuais de Xuxa exibidas pelo Programa do Gugu. “Logo no começo do processo, em maio, a gente pediu que a Justiça desse uma ordem imediata, impedindo a Record de voltar a usar essas imagens. Se a emissora descumprir a ordem judicial, será multada”, explica o advogado, que diz ainda ser possível um acordo com o canal. “O acordo pode acontecer em qualquer momento do processo, mas até aqui não houve nenhuma proposta da Record.”

Fonte: VEJA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.