sexta-feira , dezembro 9 2016
Home / Poemas e poesias / Se pra ela o meu tempo já passou Paciente eu espero o tempo dela.

Se pra ela o meu tempo já passou Paciente eu espero o tempo dela.

Cinco belas glosas do poeta Henrique Brandão

As lacunas do tempo estão abertas
O relógio do amor anda atrasado
Os ponteiros estão enferrujados
As certezas ficaram tão incertas
Igualmente uma lua encoberta
Sem mostrar as centelhas amarelas
Nossa história que outrora foi tão bela
Nesse instante é um barco que afundou
Se pra ela o meu tempo já passou
Paciente eu espero o tempo dela.

Apanhei tantas vezes do destino
Cada nova investida era uma “pisa”
A saudade é malvada e não alisa
O meu peito anda igual um peregrino
Eu joguei minhas fichas num cassino
Esperando sair dessa mazela
Tantos “NÃOS” que meu peito ainda apela
Só um “SIM” que vier, já compensou.
Se pra ela o meu tempo já passou
Paciente eu espero o tempo dela.

Nunca fui de sofrer por coisa atoa
Só que agora doeu, isso eu assumo
Igualmente um pilão de pisar fumo
Quanto mais eu a amo, é que ela enjoa
Igualmente um pardal que já não voa
Eu me vejo trancado numa cela
Mas não sei qual o mal que fiz a ela
Que uma espada em meu peito já cravou
Se pra ela o meu tempo já passou
Paciente eu espero o tempo dela.

O meu peito “inda” queima como brasa
Mas pra tê-la em meus braços, ainda luto
Conto os dias, as horas e minutos
Mas o tempo teimoso ainda atrasa
O destino cortou as minhas asas
Sou a chama enfadada de uma vela
Sou as cores que faltam na aquarela
Mas eu mesmo não sei nem o que sou
Se pra ela o meu tempo já passou
Paciente eu espero o tempo dela.

Sou a folha iludida pelo vento
Vento este, que era vendaval
O amor dentro do canavial
Esse rosto não sai do pensamento
Não esqueço da moça um só momento
O meu peito escolheu, só quer aquela
Pelo mundo não vi outra donzela
Como ela que em flor se transformou
Se pra ela o meu tempo já passou
Paciente eu espero o tempo dela.

MOTE: Kayson Pires
GLOSAS: Henrique Brandão
Fonte:http://poetahenriquebrandao.blogspot.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Você não tem permissão para usar essa função.