sábado , janeiro 21 2017
As gostosas do BBB em ensaios da Playboy e Sexy
Home / Esportes / Ministério do Esporte seleciona projetos olímpicos

Ministério do Esporte seleciona projetos olímpicos

E já não se fala mais na fracassada campanha olímpica do Brasil. O futebol voltou a dominar nossa rotina dos debates esportivos. Continuamos aguardando o anúncio do governo federal sobre a “política de esporte” que dever ser emergencial, pois 2016 está aí.

Enquanto isso…

Repetindo o que fez em 2011, o Ministério do Esporte selecionará projetos de alto rendimento. O prazo de inscrições é até 31 de agosto.

No ano passado investiram R$ 65,1 milhões em 28 projetos. O Ministério diz que com esta iniciativa quer “posicionar o Brasil entre as 10 potências esportivas a partir dos Jogos Rio 2016”.

Essa medida tem cheiro de “desespero”. Ou algo para “mostrar serviço”. Tomaram providências porque 2016 está aí, não temos um time forte, e há a promessa de ficarmos no top 10 dos países olímpicos.

No entanto, a iniciativa do Ministério é dissociada de um projeto maior que envolva clubes, federações e confederações. O COB tem seus objetivos; as confederações traçam suas metas. O Ministério do Esporte seleciona os seus projetos.

Ignora-se a estrutura natural do esporte brasileiro. Ignora-se o ordenamento natural fixado em lei,  e o órgão que deveria ser o formulador de políticas públicas torna-se o selecionador e  financiador direto de projetos, que podem ter forte enfoque político-partidário.  Já vimos este filme…

Base

Mas pode ser, também, a forma que o governo encontrou de fazer o dinheiro “chegar à base”, pois essa é a principal reclamação de técnicos e atletas.

Enquanto as demais instituições esportivas nadam em dinheiro, o Ministério, em vez de investigar os motivos da omissão, joga mais grana no esporte. É cada um fazendo o que lhe parece certo.

Onde está o Conselho Nacional de Esporte para se manifestar sobre isso?

As universidades foram chamadas para opinar sobre a viabilidade desse plano?

Temos professores e técnicos capacitados para desenvolver estes projetos?

Estamos atrasadíssimos, não há dúvidas. Se estivéssemos em dia com o dever de casa, o ministro Aldo Rebelo teria se manifestado após os Jogos de Londres apresentando a tal política de esporte. O atraso é sinal de que ainda está sendo elaborada… Nove ano depois de o Ministério do Esporte ter sido criado…

O governo continua com a idéia de que o dinheiro, e somente isso, é o suficiente para que sejamos um país altamente competitivo.

Fonte:http://josecruz.blogosfera.uol.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A assistente de palco do João Kleber, Dayse Brucieri
error: Você não tem permissão para usar essa função.